segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Dev In Rio 2009: eu fui!

O último evento em que estive presente foi o Dev In Rio, na segunda-feira passada (dia 14/Nov). Este post trata de minhas impressões sobre como foi o evento. O título dele é inspirado nos vários posts entitulados "Dev In Rio 2009: Eu vou!".

Então, vou começar pela conclusão: Guilherme Chapiewski e Henrique Bastos organizaram um bom evento! Com toda certeza, se eu tiver como ir nas próximas edições do mesmo, irei. Eu tive a chance de escutar boas frases dos palestrantes e conhecer algumas pessoas. Percebi que várias destas pessoas (assim como eu) já não acreditam mais que a linguagem Java seja a bala de prata para todos os problemas, mas sim, que a plataforma Java está cada vez mais forte com relação a característica de termos, hoje, mais de duzentas linguagens que podem rodar numa JVM, dentre as quais, as linguagens mais discutidas neste evento: PHP, Groovy, Python e Ruby. Na minha opinião, e na de pessoas que escutei durante o evento, o uso destas linguagens dentro de uma VM já é uma realidade. Além disto, a programação na plataforma Java pode se tornar até mesmo uma tarefa poliglota na qual o uso de cada linguagem, no seu devido lugar, pode oferecer até uma solução melhor do que o uso de uma única linguagem (especialmente, a linguagem Java). Também escutei mensagens interessantes sobre o Rails, sobre o Django, sobre métodos ágeis e no painel, última atividade "oficial" do evento, iniciado por Vinícius Manhães Teles e participado por diversos outros palestrantes e convidados numa "mesa redonda, sem mesa".

Sobre os palestrantes e as palestras em que estive presente, comento a seguir:

  • Gilherme Silveira e Niko Steppat, instrutores da Caelum. Eles falavam, quando cheguei ao evento, sobre otimização de performance numa JVM. Citaram parâmetros utilizados na VM HotSpot da Sun que podem influenciar na decisão da mesma de compilar ou não um código que está sendo bastante chamado. Também demonstraram um exemplo de código Ruby, rodando através do JRuby, sendo otimizado na HotSpot através da modificação de alguns parâmetros. A palestra foi interessante mas não me somou novidades em relação ao que já conheço e lido nesta área a algum tempo (desde que atuava no mercado com o Helder da Rocha, da Argo Navis). Atualmente, em cursos fechados que ofereço para alguns Clientes, cubro assuntos relativos a otimização ao falar sobre tuning de VMs e de servidores de aplicações. Na minha opinião, a melhor contribuição que a palestra da Caelum deixou para todos foi realmente a questão da plataforma Java ser hoje uma plataforma totalmente adequada a utilização de diversas linguagens citando seus casos na utilização do Ruby, Groovy, Scala, etc. Não poderia deixar de citar que Niko Steppat também nos divertiu com o termo "maguina vudual".
  • Fábio Akita, "evangelizador" de Ruby e de Rails que trabalha na LocaWeb. O Akita se destacou, no meu conceito, pela didática e clareza na transmissão de sua mensagem apesar de falar como uma metralhadora. O Rails, com toda a certeza, amplia as características do Ruby, através dos exemplos explicados e demonstrados pelo meta-apresentador do Akita (ele próprio, num vídeo) falando sobre meta-programação. Também foi muito divertida a metáfora "Cowboy x Profissional". A apresentação do Akita foi disponibilizada. Uma das coisas que me lembro sobre o Akita falar é como ele aproveita seu tempo, e que todo programador deveria ser burro (julgar-se assim) e buscar conhecimento constantemente. Eu, tenho lido sobre como gerir melhor o meu tempo e também procuro aproveitar meus minutos em deslocamentos (metrô, ônibus, vôos, ...) lendo, ouvindo e vendo coisas que possam me tornar melhor no que faço. Além disto, estou em constante busca por aperfeiçoamento até mesmo fora do trabalho. As palavras do Akita neste sentido devem ser bem lembradas e, por isto, eu as cito aqui.
  • Jacob Kaplan-Moss, um dos líderes do desenvolvimento do Django, fez uma boa introdução sobre este framework. Eu acredito que, atualmente, trabalhar com Django seja realmente uma das formas mais ágeis de se produzir aplicações para a Web. Se assim não fosse, empresas como Globo.com, Google, SERPRO, dentre outras tantas, realmente não estariam investindo tanto tempo assim em soluções que envolvem seu uso. Também achei interessante a apresentação do software Obameter e dele ter sido desenvolvido em Django. Cheguei até mesmo a comentar, ao final da apresentação e no twitter, que um software desta espécie seria interessante para nós brasileiros, que estaremos em um ano eleitoral no ano que vem. Depois desta apresentação, fui instruído por um participante e pelo GC de que já existem alguns softwares nesta linha. Gostaria de ter um comentário neste post sobre aonde estão tais softwares!
  • Jeff Patton trouxe uma apresentação interessante sobre Agile. Falou sobre a utilização de idéias ágeis, antes mesmo da confecção do software. Lembro-me de slides onde ele falou sobre a prototipação de telas utilizando caneta e papel mesmo e como isto é rápido para se conceber uma idéia inicial de como será uma navegação nas telas de um sistema. Também deu várias outras idéias interessantes relativas a desenvolvimento ágil, fora da questão da codificação.

No intervalo entre a palestra do Jacob e do Jeff, eu conheci o Lucas Bastos. Ele se apresentou para mim, falando que também é corredor, e eu fiquei empolgado por ter conhecido alguém neste evento que também compartilha comigo o gosto por corridas. Não deu tempo de conversarmos muito sobre o evento em si já que nosso foco foi completamente alterado para o assunto corridas ;-)! Ele me disse que também compartilhavamos uma amizade em comum: Cláudio Miranda que irá correr na minha equipe (eucorro.net), no Super 40 em Brasília, no próximo domingo (27/Nov). Vinícios Teles fez uma entrevista com o Luca Bastos. Assista!

Também tive o prazer de apertar a mão do Maurício Samy Silva (Maujor) e de lhe dizer que sou um grande admirador de seu trabalho. Quando crescer, quero ser igual a ele! :-D Falo isto, no que diz respeito a sua capacidade de atuar no que gosta, escrevendo livros e ainda tendo uma energia fora do comum para participar de eventos e fazer amigos!

Bem, estas foram minhas impressões sobre o Dev In Rio 2009. E reforçando a conclusão (dada no início :-): FOI LEGAL MESMO! Neste post do GC, há links para fotos e vídeos do evento.

Agora não falo mais do Dev In Rio mas de outros eventos:

  • Mesmo já tendo ocorrido a quase um mês em Brasília, no período de 26 a 28 de agosto, num próximo post eu pretendo também comentar sobre o que achei do Consegi.
  • Estarei em Goiânia, dia 03/Out no 6º FGSL, e em Brasília (dia 24/Out), no Plataforma Java x Plataforma .Net. Em ambos os eventos tratarei do mesmo assunto: Servidores de Aplicações Java, Livres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário